frase topo

http://www.venhanavegar.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/img_layout.img_banner_top_02gk-is-92.jpglink
http://www.venhanavegar.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/img_layout.img_banner_top_04gk-is-92.jpglink
http://www.venhanavegar.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/img_layout.img_banner_top_01gk-is-92.jpglink
http://www.venhanavegar.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/img_layout.img_banner_top_04gk-is-92.jpglink
http://www.venhanavegar.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/img_layout.img_banner_top_03gk-is-92.jpglink

Uma boa manutenção pode significar maior durabilidade do barco e mais segurança a bordo.
Para uma boa manutenção, o ideal é seguir a orientação do fabricante do barco, do motor e dos demais componentes. Também é importante observar com atenção todos os detalhes de funcionamento dentro d’água e fora dela. Fazer verificacoes periódicas é essencial para manter seu barco em boas condições.

LIMPEZA
LIMPEZA DO CASCO
Em relação ao casco, o principal cuidado é com o gelcoat, um tipo de pintura a base de poliester que forma a camada externa, impermeabiliza e protege o laminado de fibra. Lavar o casco com água doce sempre que possível ajuda a conservar. Uma vez por ano, é aconselhável lavar todo o casco com água e detergente suave biodegradável (o de louças serve) ou com sabão neutro, secar bem e aplicar uma camada de cera de alta qualidade sobre toda a superfície lisa do barco. Depois, é só lustrar com uma flanela ou toalha seca.
Se o barco fica em vaga molhada, é importante retirá-lo periodicamente para a limpeza do casco abaixo da linha d’água. As cracas devem ser retiradas com um raspador de madeira ou espatula plastica, para não danificar o gelcoat ou a pintura de fundo. A parte interna do barco também precisa ser arejada e limpa com frequencia, especialmente se houver, colchões, carpetes e outros acessórios que possam ficar mofados.

LIMPEZA DAS PECAS EM AÇO INOXIDAVEL
As peças em aço inox também precisam de alguns cuidados específicos. Elas se contaminam ao contato com peças de aço comum e acabam oxidando. É importante evitar o contato de objetos de aço comum com o inox. A contaminação pode afetar profundamente a peça e a remoção da oxidação é difícil. Quando acontecer, uma solução levemente ácida (à base de vinagre ou de limão) deve ser usada na limpeza.
É normal que o aço inox exposto à maresia apresente uma oxidação superficial de cor escura. Essas manchas podem ser removidas com limpadores de metal (Kaol ou Brasso) ou também com uma solução de vinagre ou suco de limão.
As peças metálicas, de inox e alumínio, devem ser lavadas periodicamente e protegidas com óleo do tipo WD-40.

barco certo foto 09

PRODUTOS PROIBIDOS A BORDO
Esponjas rugosas ou palhas de aço devem ser totalmente evitadas, seja para limpar superfícies de fibra, seja para limpar peças de metal ou de aço inox. Além de impróprias por arranhar o gelcoat, seus resíduos podem causar sérios problemas, penetrando na fibra e formando manchas de ferrugem cuja remoção é impossível.
Produtos de limpeza à base de cloro, assim como saponáceos e sapóleos abrasivos (em pasta ou em pó), também são desaconselháveis, pois além de quimicamente nocivos ao gelcoat, destroem o brilho das superfícies.

COMO CONSERVAR O MOTOR
- Nunca deixar gasolina no motor por mais de 30 dias:
- Ligar o motor, pelo menos, a cada 15 dias.
- Fazer revisão preventiva a cada 6 meses.
- Trocar o anodo de sacrifício.

CUIDADOS ANTES DE GUARDAR O MOTOR
- Adoçar: Colocar o motor para funcionar em água doce é importantíssimo para a conservação e deve ser feito sempre que o barco sai da água salgada.
- Lavar o motor.
- Aplicar spray no motor e no trim: Spray à base de óleo fino de origem orgânica.
- Encerar a rabeta e o capô.

COMO GUARDAR E TRANSPORTAR O BARCO
Quem compra um barco até 22 pés (na faixa dos seis a sete metros), não precisa, necessariamente, de uma vaga em marina ou clube náutico para guardá-lo.
As carretas, por sua vez, também ganharam em praticidade e resistência, oferecendo mais segurança e eficiência no transporte. Importante lembrar que, antes de transportar uma embarcação, é preciso saber se a potência do motor do carro que irá rebocá-la é suficiente para executar a tarefa.

Caso o usuário não tenha como guardar o barco na própria garagem, uma vaga em marina ou clube é a melhor solução e não é tão cara quanto parece, especialmente quando se leva em conta as facilidades que clubes e marinas oferecem, como sistemas cada vez mais modernos para a retirada do barco da água, vagas secas e molhadas, segurança e serviços de manutenção e limpeza.

O mercado brasileiro oferece mais de 450 estruturas de apoio náutico, entre iates clubes, marinas e garagens náuticas espalhadas por 19 estados. O custo para guardar um barco varia de acordo com o seu tamanho, com a localização e a qualidade da estrutura de apoio náutico.

O valor médio cobrado pelas estruturas de apoio náutico no Brasil é de R$28,60 por pé, por mês em vagas secas e de R$ 26,50 em vagas molhadas.

Assim, uma referincia, para poder estimar o custo anual para guardar uma embarcação pode ser usando a seguinte fórmula*: Tamanho da embarcação (pés) x R$ 28,60 x 12 meses.

Preço da vaga por pé por mês Região/Tipo
box manter e guardar seu barco

*OBS: De acordo com o relatório “Indústria Náutica Brasileira - Fatos e Número 2012”.

COM O BARCO NA ESTRADA
A legislação náutica brasileira (Lei Federal 9.537/97) não tem regras para o transporte de embarcações via rodoviária. Sendo assim, o transporte de um barco em estrada segue a legislação prevista no Código Nacional de Trânsito.
Alguns detalhes precisam ser acertados antes de iniciar o transporte de uma embarcação por estradas brasileiras. São eles:
-Estar de posse dos documentos da embarcação e da carreta durante o trajeto;
-A carreta para transporte de embarcações em rodovias deve estar licenciada (emplacada);
-Todo reboque cujo peso total (barco+carreta) ultrapassar os 500kg, precisa ter freio próprio.

MARINHEIROS
O marinheiro é o profissional que mantém seu barco em ordem e limpo, muitas pessoas contratam marinheiros particulares para cuidar do barco, outros preferem cuidar sozinho.
Na Classificação Brasileira de Ocupações do Ministério do Trabalho e do Emprego, a profissão de Marinheiro de esporte e recreio está classificada com o código 7827-25.

É importante ressaltar que esta ocupação requer o ensino fundamental e habilitação expedida pela Marinha do Brasil. Informações detalhadas podem ser obtidas no www.mtecbo.gov.br.